domingo, 8 de dezembro de 2013

Opinião: "Se fosse fácil era para os outros" de Rui Cardoso Martins




Se fosse fácil era para os outros
Rui Cardoso Martins
Ano da Edição / Impressão / 2012
Número Páginas / 248
ISBN / 9789722050852
Editora / DOM QUIXOTE


É um livro de viagens que retrata o percurso de um grupo de amigos pelos EUA, que é, para além de um percurso turístico e de aventura, um percurso pessoal para cada um deles, de conhecimento deles próprios, das suas alegrias e tristezas, e talvez até da busca pela resposta ao sentido da vida.
Como testemunho de viagem o livro torna-se muito interessante, mostrando grande parte dos EUA. No que toca ao percurso pessoal de cada um dos amigos, por vezes torna-se confuso. As personalidades e sentimentos deles não foram, na maioria das vezes, distinguíveis, e cheguei ao final do livro sem ter memorizado o nome das personagens.


Conforme a narrativa se adensa a confusão aumenta, especialmente depois do incidente com o avião no Grand Canyon, sai do discurso que teve até esta altura, entrando as personagens no modo loucura, o que acaba por ser interessante. Pena que seja, também nesta parte que o lugar comum do que são os EUA aumente.



 
Sinopse:
O narrador parte com quatro amigos, todos eles a atravessarem uma fase menos boa nas suas vidas, para uma viagem através dos Estados Unidos da América. De Nova Iorque até ao Sul profundo e em seguida para o Norte, até às Cataratas do Niagara, já na fronteira com o Canadá, atravessam um país de profundos contrastes onde vão viver aventuras umas vezes divertidas, outras perigosas, se não mesmo fatais. A viagem é, para cada um deles, um encontro sem concessões consigo mesmo e com as memórias de vidas muito diferentes, em que tudo se joga e às vezes tudo se perde, mesmo a vida. SE FOSSE FÁCIL ERA PARA OS OUTROS, o terceiro romance de Rui Cardoso Martins, é uma leitura viva, empolgante, eficazmente servida por um estilo a que o autor nos tem habituado nos argumentos dos filmes e nas crónicas de jornal. 

O autor:
Rui Cardoso Martins nasceu em 1967, em Portalegre, e tirou o Curso Superior de Comunicação Social da Universidade Nova de Lisboa.
É jornalista fundador do Público, onde mantém a crónica "Levante-se o Réu" (Pública), das mais antigas da imprensa portuguesa, com dois prémios Gazeta de Jornalismo. Como repórter cobriu, entre outros acontecimentos, o cerco de Sarajevo e Mostar, na Guerra da Bósnia, e as primeiras eleições livres na África do Sul.
Argumentista fundador e sócio das Produções Fictícias, é co-criador do programa satírico Contra-Informação, que escreve desde o primeiro episódio.
Foi co-autor de Herman Enciclopédia, escreveu para Conversa da Treta (rádio, televisão e teatro) e para o jornal Inimigo Público.
Co-autor da série dramática Sociedade Anónima, da RTP.
No cinema, é autor do argumento e guião originais da longa-metragem Zona J.

1 comentário:

  1. Cheguei ao seu blog e fiquei entusiasmado, pois foi feito com muita graça, e com muito entusiasmo.
    Gostei do que vi e li, e achei um blog fantástico, onde se aprende muito.
    Sou António Batalha, do blog Peregrino E Servo, se me der a honra de o visitar ficarei grato.
    PS. Se desejar faça parte dos meus amigos virtuais,decerto que irei retribuir,
    seguindo e divulgando seu blog.
    Desejo-lhe muita saúde muita paz e grande felicidade, e também um Feliz-Natal.

    ResponderEliminar